quarta-feira, 18 de maio de 2016

Barreira celebra Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes

Foto da Assessoria da Prefeitura
A Prefeitura Municipal de Barreira, atavés do CMDCA - Conselho Municipal da Criança e Adolescente, a Secretaria da Assistência Social, Educação, Esporte e Saúde, promoveu na manhã desta quarta feira 18 de Maio de 2016, Uma solenidade para marcar no município, oDia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes.

O evento que aconteceu na quadra do Ginásio Aquino Moura, contou com a presença do CRAS - Serviço de Convivência, Nasf Barreira, Conselho Tutelar, CMDCA, CREAS, Esporte, escolas, alunos, Diretores e Coordenadores Pedagógicos, e alunos do Projeto NUCA.

A secretária do Trabalho e Assistência Social, Lúcia Gonzaga, também esteve presente, reforçando o compromisso da administração do prefeito Antônio Peixo, com as polícias sociais do município.

No dia 18 de maio de 1973, uma menina de 8 anos foi sequestrada, violentada e cruelmente assassinada no Espirito Santo. Seu corpo apareceu seis dias depois carbonizado e os seus agressores, jovens de classe média alta, nunca foram punidos. A data ficou instituída como o “Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes” a partir da aprovação da Lei Federal nº. 9.970/2000. O  “Caso Araceli”, como ficou conhecido, ocorreu há quase 40 anos, mas, infelizmente, situações absurdas como essa ainda se repetem.

Diferença entre Abuso e Exploração Sexual
O abuso sexual envolve contato sexual entre uma criança ou adolescente e um adulto ou pessoa significativamente mais velha e poderosa. As crianças, pelo seu estágio de desenvolvimento, não são capazes de entender o contato sexual ou resistir a ele, e podem ser psicológica ou socialmente dependentes do ofensor. O abuso acontece quando o adulto utiliza o corpo de uma criança ou adolescente para sua satisfação sexual. Já a exploração sexual é quando se paga para ter sexo com a pessoa de idade inferior a 18 anos. As duas situações são crimes de violência sexual.