INFORMAÇÃO E PUBLICIDADE

terça-feira, 21 de março de 2017

Em Chorozinho/Sindsep se reuniu com a gestão para tratar do termo assinados por motoristas

*Foto e informações da página oficial do Sindicato*
Um dia depois de postar um texto onde falava de um termo assinados por motorista de transportes públicos do município de Chorozinho, o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais-Sindsep foi convidado pela gestão municipal, para uma reunião entre as partes.
A Página do sindicato publicou um texto resumindo a reunião e os temas abordados, confira o texto do Sindicato:
Hoje dia 21/03/17 os dirigentes SINDSEP(Carmem e Gilson),foram convidados a participarem de uma reunião que ocorreu as 14:00, com os motoristas de ambulâncias, a direção do hospital de Chorozinho, juntamente com o controlador do município Maycon Albano e o representante jurídico da gestão municipal, onde discutimos o texto do termo de responsabilidade e compromisso dos motoristas, no momento foi tomado decisões e adequações com a administração e funcionários, para que o termo seja cumprido, por fim houve uma leitura e discussões de cada item, onde todos opinaram para que ocorresse ajustes no documento, preservando as condições de trabalho.
O sindicato está aberto ao diálogo e tem interesse em fazer parte dessas tomadas de decisão em que desrespeita ao funcionário.

Sobre os outros dois temas abordados no texto postado anteriormente na página, o sindicato não mencionou se houve alguma negociação sobre os temas;
1° ação: A partir de janeiro deste ano foi reduzido a insalubridade de alguns profissionais da saúde de 20% para 10% (o sindicato tentou através de conversas e ofícios o retorno dessa diferença, mas não conseguimos avançar com a procuradoria do município. A secretária de saúde Sra. Luísa Carmem de Freitas, tomou a decisão de reunir alguns profissionais e assegura- los de que o desconto voltaria ao normal no pagamento do mês de fevereiro, só que não aconteceu para todos. Fomos até a secretária de saúde, a mesma informou através de uma ligação por telefone que iria fazer a correção e que sairia a diferença, inclusive retroativos no pagamento do mês de março, mesmo com essa decisão da secretária, a procuradoria afirmava o contrário, que ia permanecer da mesma forma, espero que a mesma tenha autonomia e cumpra o acordo.

2° Ação: Reduziram o adicional noturno dos vigilantes. À mais de oito anos era acrescentado 25% em cima das horas trabalhadas, ou seja, teve uma redução de aproximadamente R$60,00 no salário destes profissionais, e ainda não foi repassado as horas extras corretamente nesses meses. A procuradoria explica que os cálculos são feito de acordo com a CLT, mas lembrando que, somos regido por um estatuto.
banner
Anterior
Proxima