INFORMAÇÃO E PUBLICIDADE

quinta-feira, 16 de março de 2017

Horizonte realizou audiência pública para discutir falta de segurança na cidade

Matéria de Marcos Fontineles
No Inicio da noite desta quarta-feira 15, sociedade, poder publico, poder executivo e Legislativo, comando militar, estiveram reunidos no plenário da Câmara Municipal de Horizonte para uma audiência publica sobre segurança no município.
Estavam presentes:
Vereadores, Major Arilson, Tenente Xavier que foi indicado como secretário de segurança publica de Horizonte, Tenente Alberto Alves Tavares, Dudu Diógenes Representando todo secretariado do Município e Dra. Gabriela procuradora do município. Não compareceram, a promotora de Horizonte que justificou sua ausência, o delegado de policia civil, o prefeito Chico César e a vice prefeita Cátia Maia.

Cada convidado tiveram 5 minutos para falar do referido assunto:
Em seu pronunciamento o Major Arilson, destacou que a Policia Militar e Civil junto com a guarda municipal vem trabalho incansável no combate ao crime.
O Tenente Xavier Futuro Secretário de Segurança Publica do Município, abordou que ações serão tomadas para melhorar a segurança em Horizonte.  
Segundo o vereador Chelo Rocha , é importante encontrar ideias práticas para implementar na cidade políticas públicas em conjunto com os três poderes.
“O aumento do efetivo de policiais nas ruas da cidade, pura e simplesmente não resolve o problema da violência. É preciso ir na origem do problema e criar condições que o jovem não entre na criminalidade”, afirmou o vereador Auricino.

Autor de vários requerimentos e indicações sobre o tema, o vereador Dr. Alexandre, tem reforçado o seu trabalho em prol da segurança de Horizonte. “
Conversamos com o tenente Tavares que destaca que a violência fez com que a sociedade se unisse mais. 
Já o Major Arilson nos falou dos objetivos traçados na audiência publica. 
O vereador Dr. Alexandre enaltece a participação da população Horizontina nesta audiência . 
A  realização de Audiências Públicas são fundamentais para promover a interlocução entre o poder público e a população. Ao mesmo tempo, é a forma mais eficaz de acompanhar os desdobramentos e os resultados das ações já realizadas: retomando contatos, fiscalizando e cobrando soluções para os problemas apontados; as Audiências colaboram para que as autoridades tenham um diagnóstico ampliado dos problemas na medida em que a comunidade pode participar diretamente; “olho no olho”. Por isso, acreditamos  nelas como forma democrática de participação”.
banner
Anterior
Proxima